Fechamento Eletrônico Jaó- Perguntas e Respostas
Fechamento Eletrônico Jaó- Perguntas e Respostas

Data: 22/05/2016
Categoria: Segurança
Status: Notícia Pública


Descrição:

Lista de Perguntas e Respostas com o objetivo de esclarecimento a cerca do Projeto “Fechamento Eletrônico do Setor Jaó”, que se encontra em fase de estudos preliminares.

1. O QUE É O FECHAMENTO ELETRÔNICO?

Nome dado pela Comissão do CONSEG que, há mais de um ano, vem estudando alternativas para controle das estradas/saídas do Setor Jaó. Trata-se de câmeras que captam as placas dos veículos, fazem leitura das mesmas cruzando com um banco de dados que, em caso de veículo suspeito, emite sinal de alerta sonoro para uma Central e/ou telefone celular. Esta tecnologia possibilita maior controle sobre veículos que entram na região assistida, proporcionando maior segurança, sendo mais efetiva quando integrada à Polícia Militar e Civil.

2. ESTA TECNOLOGIA É MUITO CARA?

As câmeras com esta tecnologia custam em média 20 mil reais, mas existem outros custos como: instalação e manutenção das mesmas, licença do software e Central de Monitoramento. O CONSEG já realizou alguns orçamentos e, atualmente, está em contato com 5 empresas que trabalham com esta tecnologia.

3. COMO PODEMOS VIABILIZAR ESTA TECNOLOGIA PARA O SETOR?

O CONSEG tem em seu estatuto previsão de arrecadação de fundos para investimento em segurança. Para isso, ano passado, foram realizados os passos a seguir: Abertura de CNPJ e Conta Corrente – quesitos legais para captação de recursos, Parceria com o PagSeguro. Desta forma, estamos prontos para arrecadar uma contribuição voluntária, em forma de mensalidade, para investimento em segurança. Sabendo que, um bairro necessita de uma série de benfeitorias além da segurança, foi acordado entre as Diretorias do CONSEG e AMOJAÓ a partilha da arrecadação. Além disso, outras iniciativas estão em curso para angariar fundos, como rifas e eventos.

4. POR QUE É NECESSÁRIA UMA MENSALIDADE? NÃO PODERIA SER SOMENTE RIFAS E EVENTOS?

As câmeras já instaladas no Setor têm sido muito úteis na investigação de ocorrências mas, como o planejamento financeiro para instalação não previu a manutenção, atualmente enfrentamos problemas para manter o sistema funcionando como: duas câmeras quebradas, software desatualizado, falta de operador na central. Estes não tem como serem resolvidos sem recursos financeiros. Com esta experiência, aprendemos que é necessário um fluxo contínuo de recursos tanto para manter o sistema em funcionamento como para que possamos PLANEJAR investimentos em outros Projetos. Acreditamos que o tema SEGURANÇA demanda continuidade de ações, e a pontualidade da captação de recursos por meio de rifas e eventos não atende a demanda de forma adequada.

5. QUAL O VALOR DESTA MENSALIDADE E QUANTAS CASAS DEVEM CONTRIBUIR?

Inicialmente, de acordo com a previsão de investimentos e os orçamentos iniciais já realizados, a Associação dos Moradores em conjunto com o Conselho de Segurança estipularam um valor que seria viável para implantação deste Projeto e de outros como a reforma das Viaturas da GCM e a reforma do 26DP para receber uma unidade da GCM, mais detalhes nas outras notícias nesta página. O valor definido foi de R$50,00 por mês por residência e para o comércio, o valor da arrecadação voluntária seria a partir de R$ 100,00. Na estimativa de fluxo de caixa já apresentado em Assembleia no dia 17/05/2016, foi realizada uma simulação e com 500 residências contribuindo (20%) dos moradores, viabiliza a implantação de todo o sistema em um ano e meio. Ao final, será possível ainda a contratação de uma empresa privada para monitorar as imagens e apoiar a PM e Policia Civil se for aprovado pelos moradores.

6. COMO SABEREMOS DETALHES DOS GASTOS DESTA ARRECADAÇÃO?

O CONSEG criou a página jao.conseg.org também com esta finalidade, basta entrar em FINANCEIRO/EXTRATO DE CAIXA, neste local todos os detalhes das arrecadações e despesas estão disponíveis.

7. NÃO SERIA POSSÍVEL FECHAR O SETOR JAÓ COM MUROS E VIRAR UM COND. FECHADO?

Esta possibilidade já foi amplamente debatida e estudada, mas a possibilidade é próxima de zero. No entanto a AMOJAÓ está estudando um Projeto para instalação de FLOREIRAS em algumas ruas secundárias, reduzindo o número de entradas de 23 para 8. Esta proposta exige um longo caminho de negociações e aprovações, mas já foi dado início ao Projeto, Proposta e primeiras rodadas de negociação.

8. E AS CÂMERAS ATUAIS, SERIAM DESATIVADAS?

Não, estamos prevendo a integração das tecnologias em uma única central de monitoramento. Mesmo com o registro das placas, as imagens de deslocamento dos veículos suspeitos também contribuem na prevenção dos delitos. Existem também ocorrências de bicicleta ou a pé e as câmeras já adquiridas pegam estas situações.

9. ESTA TECNOLOGIA JÁ FOI UTILIZADA EM ALGUM LUGAR E TEVE O RESULTADO COMPROVADO?

Sim, o caso que estamos estudando mais a fundo é o de Jundiaí-SP, realizamos uma fone conferência com a Guarda Civil Metropolitana daquela cidade e o resultado é muito bom com redução de 50% nos roubos e furtos. Existe também uma entrevista da CBN que o CONSEG indicou para a radio e o link está abaixo.

http://www.cbngoiania.com.br/programas/cbn-goiania/cbn-goi%C3%A2nia-1.213644/projeto-da-secretaria-de-seguran%C3%A7a-p%C3%BAblica-est%C3%A1-parado-no-detran-1.1042874

10. POR QUE O VALOR DE R$ 50,00 NÃO PODERIA SER MENOS OU MAIS?

É muito difícil estimar valores, uma vez que não sabemos a quantidade de adesões. No setor temos em torno de 2500 casas, acreditamos em uma adesão de 500 casas e com o valor de R$ 50,00 os Projetos se viabilizam em um ano e meio, em uma simulação, se a o valor da mensalidade voluntária for de R$ 20,00 demoramos 10 anos para implantar este Projeto. Outra simulação foi realizada com uma adesão de apenas 150 moradores, com R$ 50,00 por mês, neste caso gastaríamos os mesmos 10 anos. Neste sentido, considerando a gravidade do Tema Segurança, não acreditamos que a população quer esperar por 10 anos. Por esta razão, a adesão do maior número de moradores é muito importante e contamos com a colaboração e a motivação de todos.

11. COMO A TECNOLOGIA IMPEDE UM ROUBO OU FURTO?

O CONSEG atua de perto com as ocorrências do setor e sabe as modalidades e a frequência dos casos. Temos o roubo a transeunte, por exemplo, no qual o motoqueiro rouba o celular. Esta modalidade é muito recorrente e o mesmo motoqueiro com a mesma moto realiza 10, 20 assaltos no setor. Com o novo sistema, após o primeiro roubo, a vitima deve informar o horário e as características do veículo, o sistema permite a inclusão desta placa em uma LISTA NEGRA. Desta forma, no momento em que o motoqueiro entrar no setor vai disparar um ALARME na central e na Policia Militar que vai agir imediatamente realizando a prisão do marginal que provavelmente estaria armado. Desta forma vamos ter de fato ações PREVENTIVAS. Imagine na situação atual a quantidade de motocicletas que transitam no setor e a dificuldade da PM fazer uma abordagem direcionada e no momento certo. Acreditamos na tecnologia como uma forma ADICIONAL ao trabalho da PM, como uma ferramenta muito eficiente e eficaz.

12. E NO CASO DE ROUBO A RESIDÊNCIA?

Em muitos casos os veículos utilizados neste delito são roubados, como o sistema será integrado com o banco de dados da SSP, o ALARME vai avisar quando os marginais entrarem na área protegida do Setor. Se for veículo com placa ´´quente´´ a PM e a Policia Civil vão chegar rapidamente aos autores do crime.

13. COMO FAÇO PARA CONTRIBUIR VOLUNTARIAMENTE COM O CONSEG E A AMOJAÓ?

O primeiro passo é se cadastrar no site jao.conseg.org e entraremos em contato com você para explicar os Projetos e a forma de viabilizar a contribuição. Estamos utilizando o PagSeguro, com várias opções, aqueles que não quiserem utilizar a internet, temos também outras opções. Se você já faz parte do Vizinhança Solidária, projeto dos grupos de rua, passe para o Líder da sua rua o seu interesse em colaborar e ele vai dar sequência no atendimento.

POR QUE O CONSEG ESTÁ PROPONDO ESTE PROJETO?

Neste ano e meio da nossa Gestão, aprendemos muito com os moradores do Setor, coletamos várias sugestões e trabalhamos muito próximos a Policia Militar e Policia Civil, ficou clara a necessidade do uso de INTELIGÊNCIA e TECNOLOGIA, além do envolvimento das PESSOAS. Esses três pilares tem norteado o nosso trabalho e não acreditamos em solução de problemas de Segurança sem esses três pilares. Para o pilar PESSOAS, desenvolvemos o Projeto Vizinhança Solidária com 60 ruas já engajadas graças ao apoio da PM. Mesmo com várias prisões, percebemos que ainda existem lacunas que permitem a ação de marginais. Neste sentido, estamos propondo o uso de TECNOLOGIA e INTELIGÊNCIA, aumentando o alcance das Câmeras já instaladas e possibilitando a Ação da PM antes do delito e portanto de forma PREVENTIVA. Acreditamos muito neste projeto para trazer mais Qualidade de Vida para nossas famílias. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!

 
...